Violência e destruição

Pela terceira vez consecutiva, a Fazenda Cedro em Marabá-PA, foi alvo de bandidos. O ataque aconteceu nesta madrugada. Desta vez eles foram direto para a sede da fazenda e não perdoaram nada, nem ninguém. De acordo com os funcionários, ainda estava escuro, quando cerca de 80 pessoas fortemente armadas e encapuzadas, chegaram  e  renderam os funcionários e seguranças da propriedade. Eles foram amarrados e humilhados. Em seguida, como um rolo compressor, o bando foi ateando fogo em tudo, inclusive em bens dos próprios trabalhadores. Queimaram e destruíram tudo que viram pela frente. Uma barbaridade sem tamanho. A polícia civil esteve no local, fotografou tudo, inspecionou, colheu depoimentos e já instaurou o inquérito para apurar o caso. Ainda com muito temor, empregados contam que o bando é ligado ao MST. Agora cabe a polícia as investigações e punição aos responsáveis.

 

fazenda cedro

 

 

Pois bem, esse é só um dos casos que estou publicando aqui. Sabemos que por este Brasil afora várias outras atrocidades estão acontecendo, mas quem são, de fato, os “cabeças” dessas monstruosidades? A quem interessa, porque é uma fazenda produtiva e mesmo que não fosse. Ninguém tem o direito de sair por aí destruindo o que não lhe pertence. Que “política” é essa? Reforma agrária não se faz assim, senão onde vamos parar? De quem são essas ideias “revolucionárias” que querem tudo na base da violência? Engraçado é que eu nunca vi , nem ouvi falar de alguém que tenha invadido ou se apropriado de mansões em bairros nobres espalhados por estados brasileiros que ficam ali só para “dias de confraternização”, festinhas particulares, encontros suspeitos. Nem invasões em hectares e mais hectares adquiridos de forma duvidosa, nem sítios, nem fazendas que ficam em lugares privilegiados. Mas estas, pertencem a nata… Essa “nata” que, coincidentemente é a mesma que aprova Leis e criação de movimentos “ditos” de sem terra, sem moradia. Já que querem tanto ajudar essas pessoas porque não começam dando exemplos de honestidade, integridade, caráter e hombridade? É a gente tem mesmo que avaliar – dois pesos, duas medidas. Existem sim, e não são poucas famílias honradas e que precisam, gostam e fazem produzir a terra, mas esses não se juntam com o resto que na verdade querem mesmo é a desordem e a baderna. Aqui é Cássia Bomfim e viva a liberdade de expressão.

*Fonte: Polícia Civil e rede social

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s