Universitário portador de deficiência passa por sérias dificuldades na UFU

 

O sorriso no rosto é constante. A força de vontade de vencer também. Em qualquer lugar que encontrarmos com ele é assim: de bem com a vida. Este é Nivaldo José de Resende Neto, 19 anos, universitário – 1º período de Administração. Vaga conquistada por mérito, por estudar muito e saber exatamente o que quer da vida. Estudou em escola pública, enfrentou muitas dificuldades e privações, mas jamais desistiu. Em novembro de 2017 fez a prova do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) e foi aprovado para o curso superior de Matemática. Acompanhado e incentivado pela mãe, Luciana Marques, o jovem viu que podia ir mais longe e foi. Em julho deste ano, prestou vestibular para Administração e foi aprovado. Mas nem tudo tem sido flores na vida acadêmica de Nivaldo. De acordo com a mãe, ele está enfrentando muita dificuldade neste período tão importante e fundamental na vida. Ele tem uma inteligência aguçada, mas devido a Paralisia Cerebral (PC), o rapaz apresenta pouca mobilidade nas mãos, além de ser cadeirante. Isto tem acarretado muitos problemas para que possa acompanhar o curso como deveria. Além disso, Luciana, preocupada com o desempenho dele, já fez de tudo para que a UFU lhe desse todo o apoio necessário e de direto, mas ainda não conseguiu nenhum avanço e o ano está quase terminando. Nivaldo Neto têm perdido matérias do curso e também as provas porque não há monitores disponíveis. “Ele também tem dificuldades na locomoção, alimentação e higiene pessoal. Meu filho usa sonda e se não fosse a solidariedade de outras pessoas e colegas a situação dele estaria pior. Ele é guerreiro e não vai desistir, mas fico triste quando o vejo passar por constrangimentos”, relatou a mãe. Marques não está pedindo nenhum favor, ele tem DIREITO. Inclusive a mãe relata que já houve dias de ter de sair de casa para ir ajudá-lo porque não tinha conseguido se trocar sozinho. O universitário já passou por episódios de ser xingado por pessoas que trabalham na limpeza, apenas porque estava demorando no banheiro masculino. Segundo ela, a equipe do Centro de Ensino, Pesquisa, Atendimento e Extensão(CEPAE), tem tentado ajudar de todas as formas, mas existem limitações e hierarquias que não podem ser ignoradas. Entretanto, o tempo não pára e o jovem universitário está com o primeiro período comprometido por uma ineficiência ou por um descaso sem tamanho. Cansada de tanto buscar respostas e “enxugar gelo”, a mãe me enviou uma mensagem: “Oi boa noite gostaria de saber com você se você pode me ajudar meu filho cadeirante esta estudando na UFU fazendo, atualmente, o curso de Administração. No começo do ano ele entrou para cursar Matemática. Desde o começo do ano estamos atrás de um monitor para auxiliar ele na UFU, mas até hoje nada. Ele está sendo muito prejudicado porque não tem ninguém que o auxilie dentro e fora da sala de aula.Será que tem como você me ajudar?” Segundo a mãe, Luciana Marques, a UFU abriu vagas para os monitores mais querem alunos e parece que,os alunos, não tiveram interesse e ela questiona a posição da universidade quanto a isso, já que ele foi aprovado, têm de haver outra alternativa, como as escolas estaduais. Aluno: NIVALDO JOSÉ DE RESENDE NETO – 19 ANOS – 1 PERÍODO DE ADMINISTRAÇÃO.” 
Sensibilizada com a situação apresentada, entrei em contato com a Pró-Reitoria de Assistência Estudantil (PROAE), mas devido a burocracia, era necessário mandar um e-mail para a pró-reitora e assim o fiz. Agora, tem de aguardar porque um funcionário não estava, o outro não sei o que, enfim, um secretário, por sinal muito educado, pediu que enviasse por escrito o que estava acontecendo. Enviei o texto acima, descrito pela própria mãe, acrescentando: Gostaria de um posicionamento da respeitada instituição, uma vez que o estudante concorreu à vaga com todos os direitos garantidos, foi aprovado e agora não consegue obter êxito. A mãe relata ainda que não há nenhum material didático disponível para ele, já que não consegue escrever e ele nem mesmo tem condições de realizar as provas, porque são escritas. Aguardo um posicionamento da Pró-Reitoria. Mas e agora? Bom agora vamos esperar a máquina da morosidade e que haja um desfecho justo, rápido e definitivo para o caso do Nivaldo. Existem algumas indagações que preciso fazer: Interessante é que este caso pode não ser o único, mas nos serve de reflexão. Não houve cota (nem existe para pessoas com deficiência), não houve apadrinhamento, não houve favores. Este estudante do nível superior é uma pessoa com algumas limitações que tem enfrentado de tudo para conquistar um “lugar ao sol”, mas parece que a maré está contra ele, por que? Porque ele não ingressou na UFU com “cota”, porque ele é deficiente, porque ele acredita na própria capacidade intelectual e não quer viver de “bolsas”, mas de trabalho? Vamos acompanhar esta jornada do Nivaldo Neto. Pode até ser que existam formas dentro da UFU para ajudá-lo e a gente não sabe, mas se há porque a mãe e o próprio estudante desconhecem? Acredito que este não seja o propósito da instituição, muito pelo contrário, por isso faço questão de publicar aqui o sucesso deste jovem e participar de suas conquistas, da quebra de barreiras e até ser convidada para a formatura. Sonho? Pode ser, mas que se tornará uma realidade para ele e para muitos outros nivaldos, marias, joãos…Mérito, desejo e esforço, sem nenhuma separação, discriminação ou coisa do gênero. 

Universidades Federais

Pessoas com deficiência contam com benefícios, regras de acesso e atendimento especial em instituições federais de ensino. É o que determina a Lei nº 13.409, sancionada em dezembro de 2016.

 

3 comentários sobre “Universitário portador de deficiência passa por sérias dificuldades na UFU

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s