Doar amor é mais do que um gesto: é uma missão que gera frutos

missão sal da terra1

“Suplicar para que sejamos sensíveis aos gemidos das pessoas, a fim de que nossa palavra seja temperada com sal, gerando graça no coração dos que a ouvem.” (Pr e conselheiro – Paulo Jr – Missão Sal da Terra)

Quando nos deparamos com palavras como estas, certamente precisamos nos ressignificar algumas atitudes. Muitas vezes olhamos ao nosso em torno e não conseguimos enxergar além do que os olhos vêm. Por isso, é importante mostrarmos que nem tudo está perdido. É preciso sim, muitas, muitas mudanças, mas também é preciso saber que existem pessoas, grupos, instituições que se preocupam e se dedicam para e com os outros, em especial crianças e adolescentes que para nós já foram rotulados de “perdidos”, será mesmo? Eu te convido para conhecer um pouquinho mais de quem não pensa assim e mesmo com certas dificuldades, não desistem, insistem porque sabem, creem que ainda há esperança. Nosso tema é: Missão Sal da Terra, muito mais do que uma igreja evangélica. São pessoas como nós, mas que tem um diferencial: orar e agir. Eles não falam apenas, eles agem, perseveram e acreditam em transformações.

 

Casas de Acolhimento Institucional

 Estas casas masculino e feminino são responsáveis por acolher adolescentes com idades entre 12 e 17 anos, cada casa comporta no máximo 10 adolescentes e cada adolescente acolhido possui fortes marcas de sofrimentos, abusos, humilhações e o mais triste, perderam a crença em si mesmo devido as inúmeras rejeições. Este acolhimento se dá pelo tempo necessário para que a família de origem do adolescente seja preparada para receber, conviver, educar e proteger a criança/adolescente, quando não é possível essa reintegração no lar de origem ou família extensa (outros familiares), as crianças e adolescentes são encaminhados para a adoção. Na tentativa de amenizar a dor desses jovens, a Missão Sal da Terra por meio de sua equipe técnica, cuidadores, coordenadores e voluntários, desenvolvem esforços diários para que esses jovens voltem a viver em sociedade e para isso algumas ações práticas são desenvolvidas, tais como Regresso a escola, passeios pela cidade e teatro municipal, acompanhamento psicológico, encaminhamento para casa de recuperação, incentivo a visitas, aulas de violão, dentre outros.

Superintendência de Ação Social 

Amar é um verbo e exige ação. É impossível amar pessoas sem se envolver com as suas vidas. Nós acreditamos que quando percebemos o outro e nos envolvemos com ele e com suas necessidades, estamos construindo uma forma de transformar o mundo, a indiferença é a grande desgraça do homem, nenhum de nós pode ser feliz sem perceber o próximo. O superintendente do Social, Maurício Calhau Freitas, explica que tudo o que fazem hoje é pensando naqueles que têm nome, têm dores e alegrias, e que nesse momento da vida, precisam da ajuda do seu próximo.  ” Nosso objetivo  é inspirar pessoas  a  perceberem  o seu  próximo, a se envolverem  com o seu próximo, da maneira que for necessária, pelo tempo que for necessário e pelo custo que for necessário”, ressaltou ele. A instituição trabalha em algumas vertentes que implicam a Infância e Juventude nos projetos de Acolhimento Institucional, onde  administram duas casas de acolhimento para adolescentes sendo uma masculina e uma feminina. Além disso, também existe o programa “Família Acolhedora”, de acolhimento familiar em caráter temporário, até que a família de origem ou extensa (outros familiares) seja preparada para receber, conviver, educar e proteger a criança/adolescente. Não sendo possível a reintegração, as crianças e adolescentes são encaminhados para a adoção. Estes projetos são desenvolvidos em parceria com a Secretaria de Desenvolvimento Social e Trabalho – SEDEST, Prefeitura Municipal de Uberlândia e a Vara da Infância, Juventude e do Idoso.  

Tem mais, muito mais

Pare e pense, quantas vezes julgamos, apontamos o dedo ou até mesmo nos sentimos ameaçados, quando acompanhamos pelos noticiários práticas reprováveis que tem a participação de crianças ou adolescentes. Não significa que devemos ser coniventes ou simplesmente aceitar de forma pacífica. Eles têm direitos, garantidos pelo Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA). Por mais que possa haver discordância de alguns artigos do estatuto, não há como deixarmos totalmente de lado, ignorar que se trata de pessoas que precisam, pelo menos, ter uma oportunidade de transformação. Afinal “pau que nasce torto”, pode ser lapidado e se tornar reto. É fácil? Sabemos que não, mas também não é impossível. Focados nisto e com base em princípios cristãos, a Missão Sal da Terra  em parceria com outros órgãos reuniu esforço e determinação, para implementar projetos que visam exatamente a chance de recomeçar. Por isso, eles mergulharamfundo e acompanham ainda mais outros projetos:

– Livres para Recomeçar

Realizado em parceria com o Ministério Público do Trabalho. Nesse Projeto são ministradas aulas de música com instrumentos de corda e de percussão para adolescentes que estão no Centro Socioeducativo de Uberlândia (CESEU). Por meio das aulas é estabelecido o diálogo e reflexão sobre sua vida, atitudes, reconstrução dos sonhos e possibilidades de transformação.

– Orquestra Experimental 

Doar e transformar. Com afinco e sempre olhando para frente e para o alto, como uma águia, as equipes da Missão Sal da Terra ainda desenvolvem trabalhos voltados para a música, mas por meio de um conjunto de instrumentos. Aqui o trabalho é com oficinas de música  com um grupo instrumental de 250 alunos matriculados. São crianças e adolescentes, que estudam e aprendem sobre musicalização. As aulas são desenvolvidas no Centro Comunitário Sal da Terra. Todos estes trabalhos contam com a ajuda de profissionais voluntários e a ONG recebe ainda subvenções do poder público para manutenção e continuidade aos atendimentos. Tudo muito organizado e com transparência, inclusive são prestadas contas ao término de cada ano. Assim, eles conseguem implementar ainda mais as atividades necessárias e dar sequência em todas as ações planejadas para o ano subsequente. É de extrema valia que a comunidade conheça, se informe e busque agregar à estes “guerreiros da paz e da esperança” mais do que um simples olhar…atitudes e ações que podem fazer toda a diferença para aqueles que pouco ou nada tem.

*Fonte: Missão Salda Terra – Rua Alameda Uberaba, 60 – Jardim Finotti – Uberlândia/MG – Fone/Fax: (34) 3255-1240
*Obs.: por se tratar de matéria que envolve crianças e adolescentes, as imagens são meramente ilustrativas

 

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s