MGO Rodovias poderá ter problemas com a Justiça

 

O Ministério Público Federal (MPF) está aguardando a Polícia Civil (PC) de Araguari concluir o inquérito sobre o acidente que aconteceu no dia 7 de outubro, na BR 050, onde três pessoas perderam a vida, inclusive uma criança, para ajuizar uma ação civil pública contra a concessionária MGO, responsável pela administração da rodovia. O fato é que onde aconteceu o acidente, existe mesmo algumas irregularidades que foram levantadas pelo MPF, como a não existência de proteção, chamada tecnicamente de defensa metálica que tem como objetivo a absorção do impacto, no caso de acidentes. Desde o acidente, que envolveu outro veículo, conduzido por uma mulher, a PC instaurou inquérito e iniciou investigação sobre o que poderia ter provocado o capotamento. De acordo com as diligências uma mulher de Uberlândia, que estava com mais duas pessoas no carro procurou a polícia de Araguari e contou que houve uma colisão e que foi chamada a PRF, mas que não sabe direito o que houve, já que o outro veículo não foi localizado naquele momento. Esta pessoa já prestou depoimento e o veículo em que ela dirigia já passou pela perícia. Agora é aguardar as conclusões finais das equipes que trabalham neste caso. O inquérito é presidido pelo delegado Rodrigo Luis Fiorindo.

 

Relembre a tragédia

A princípio tratava-se de um desaparecimento. Alessandro Monare, 38 anos, pastor da Igreja Batista Vista Alegre, em Campinas-SP, a esposa Belkis da Silva Miguel Monare, 35 anos e os filhos Samuel da Silva Miguel Monare, 08 anos e Benjamin da Silva Miguel Monare, 06 anos, haviam saído de Rio Quente-GO com destino a Campinas-SP, onde residem, mas não chegaram no horário previsto. Após várias tentativas de contato por telefone, parentes da família Monare vieram para Uberlândia na tentativa de descobrir o que poderia ter acontecido, já que se tratava de pessoas idôneas e muito responsáveis. A última notícia deles foi em uma foto quando passaram pelo pedágio da MG 223, no km 114,8. O carro em que viajavam caiu em uma vala na BR050. Três dos quatro membros da família, não sobreviveram. De acordo com a informações das equipes da Polícia Rodoviária Federal (PRF), Corpo de Bombeiros, Polícia Militar e socorristas da MGO, o mistério do desaparecimento foi solucionado depois que o filho menor, Benjamin conseguiu sair do local onde o veículo caiu e chegou até a rodovia. Ainda era bem cedo quando o motorista Valdécio Francisco Vale passava pelo local e viu a criança deitada à margem da rodovia. O garoto estava molhado, sujo e reclamava de muito frio. Segundo o motorista, a criança parecia confusa, mas disse que passou a noite inteira tentando subir o barranco para chegar na rodovia. Ele foi levado para o Pronto Socorro do Hospital de Clínicas da Universidade Federal de Uberlândia (HC-UFU).

*Foto fachada MPF – site V9

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s