Eleições 2018 – Urnas eletrônicas

Há, quatro dias do 2º turno das eleições majoritárias o clima, entre os eleitores em todo país, é bem diversificado. Os sentimentos se misturam: receio de boicotes e fraudes, tensão para que o processo democrático ocorra de forma tranquila e alguns otimistas por uma reviravolta. De acordo com as pesquisas o quadro entre os dois presidenciáveis não mudou muito, mas nas ruas ainda paira “o ar” da desconfiança frente as urnas eletrônicas. Por mais que ministros e especialistas, ligados ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE), atestam a credibilidade nos equipamentos, a maioria dos eleitores continua “com a pulga atrás da orelha”. Um dos motivos destas dúvidas está exatamente nas campanhas de “fake news” espalhadas pelas redes sociais no país e até no estrangeiro. Bom, mas independente disso, eleitores ainda continuam em dúvida. Acredito que pelo rumo que as campanhas, tanto para presidente, quanto para os governos (nos estados que terão 2º turno) tomaram. Infelizmente muitos ataques, muitas ofensas, muitos depoimentos apelativos e o pior, sem fundamentação e até envolvendo pessoas que sequer tinham idade para tais atitudes que são apontadas como responsáveis. Fora a enxurrada de vídeos e depoimentos deprimentes de algumas personalidades que se sujeitaram aos extremos. No caso de votos anulados, o TSE apresentou documentos que comprovaram não haver nada disso, nem semelhante, mas que também houve milhares de reclamações dos próprios eleitores, com vídeos, boletins de ocorrência também não podemos negar. Infelizmente fica a dúvida: Se o TSE informou, concedeu entrevistas à imprensa e virou OFICIAL. No caso do eleitor, pagador de impostos, que aliás é o que auxilia no sustento do Brasil, “botou” a cara, protestou, acionou a polícia, chamou testemunhas, alguns policiais também denunciaram, NÃO É OFICIAL? ELE É MENTIROSO E ENGANADOR?  E se fossem artistas, escritores, cantores, pessoas públicas ou que pertencessem a algum órgão público, também seriam tachados de enganadores que desejam “estragar/tumultuar” o direito democrático??? É precisamos refletir: dois pesos, duas medidas, mas enfim, com tantas indagações, fica uma pergunta no ar: EM TODOS OS GOVERNOS, SEM EXCEÇÃO, O QUE SE OUVE NOS PALAQUES:”QUEREMOS SER UMA NAÇÃO PRÓSPERA, RESPEITADA MUNDIALMENTE, ETC…E NO JAPÃO, UMA POTÊNCIA EM TECNOLOGIA, O QUE PREVALE É O VOTO IMPRESSO – Será porque…Já que as urnas eletrônicas são tão, tão confiáveis… Aqui é Cássia Bomfim e viva a liberdade de expressão.

defeito urna

**Fonte – Último Segundo – 07/10/18**

A Justiça Eleitoral teve que substituir 1.695 urnas eletrônicas em todo o País neste domingo (7), de acordo com o último boletim divulgado pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE). Segundo o tribunal, o número representa 0,33% do total de 454,4 mil urnas utilizadas no pleito deste ano. O município de Três Coras, no Rio Grande do Sul, precisou utilizar a votação manual. Os estados que tiveram o maior número de urnas com defeito foram Minas Gerais (438), Pernambuco (192) e São Paulo (163).

voto japão

 

 

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s