Verão – Estação propícia para escorpiões

O calor intenso em, praticamente, todo o país. É verão. A estação muito esperada por muitas pessoas: sol, praia, piscina, rios, riachos, diversão, mas além de diversos cuidados com a saúde, como ingestão de muito líquido, o verão traz um outro perigo, principalmente para crianças: esta é uma época de procriação dos escorpiões. Por isso, desde já: todo cuidado é pouco, afinal este animal invertebrado e um dos mais antigos da terra pode levar uma pessoa à morte. Os escorpiões são invertebrados artrópodes, da classe dos aracnídeos.

Onde são encontrados

Estes animais, em torno de 2000 espécies estão espalhadas pelo mundo, menos na Antártida. Apesar de algumas espécies se adaptarem nos climas mais intensos (próximo a 0° ou 50°), a maior parte delas prefere temperaturas entre 20° e 40°. Passam o dia escondidos em lugares escuros, entre frestas, ou debaixo de pedras, folhas e troncos, ou enterrados na areia, no deserto. São comuns em lugares com entulhos, que possuem madeira, materiais para construção, sendo mais ativos à noite. Também se escondem em meio a terra, tijolos, construções, frestas de muros, dormentes de estradas de ferro, lajes de túmulos, entre outros. No Brasil, há em torno de 140 espécies descritas. 

Hábitos dos escorpiões

Existem cerca de 1.200 espécies de escorpiões conhecidas; dentre estas destacamos duas, o Tityus bahiensis (escorpião marrom) e o Tityus serrulatus (escorpião amarelo), comuns em cidades.
Os escorpiões são predadores, capturam e matam animais para se alimentarem como: baratas, grilos, cupins, aranhas de porte médio, etc. As espécies comuns em nossa cidade estão bem adaptadas ao ambiente urbano, onde seu principal alimento é a barata. Tem como inimigos naturais as corujas, gaviões, sapos, algumas espécies de aranha e lagartos, entre outros.

Ciclo de vida

A fêmea é vivípara, isto é, os filhotes desenvolvem-se dentro da mãe e o nascimento efetua-se por meio de parto, sendo a gestação de 2 a 3 meses, dependendo da espécie.

Uma ninhada pode ter até 20 filhotes, os quais ficam nas costas da mãe até conseguirem se alimentar sozinhos. Os filhotes ficam adultos com cerca de um ano de idade. Os escorpiões vivem em média 3 a 4 anos.

Agravos para a saúde
 
Todas as espécies de escorpião podem inocular veneno pelo ferrão, sendo considerados animais peçonhentos. A gravidade do envenenamento varia conforme o local da picada e a sensibilidade do acidentado. A gravidade do acidente deve ser avaliada pelo médico, o qual tomará as decisões sobre o tratamento a ser ministrado.
Os acidentes geralmente ocorrem quando se manuseia material de construção ou entulho em residências e são mais comuns na primavera e no verão.

Alimentação

São carnívoros e comem insetos e aranhas, principalmente, mas podem predar animais maiores, até mesmo pequenos vertebrados. Por ter a visão pouco eficiente, esse animal desenvolveu ao longo da evolução cerdas sensoriais que ajudam na identificação dos movimentos e vibrações a sua volta. Além disso, pode detectar quimicamente a presença de outros animais. Pode passar meses em jejum, a digestão é quase externa, uma vez que depositam enzimas digestivas na presa, depois corta os pedaços, mas não ingere nada sólido, apenas a parte líquida. O canibalismo é comum para estes animais.

Durante a reprodução há uma espécie de dança do acasalamento, que machos e fêmeas se unem pelas pinças girando. Após a cópula é comum o canibalismo, a fêmea come o macho. A maioria das espécies é ovovivípara (filhotes se desenvolvem dentro da mãe, em ovos que lá eclodem), mas algumas são vivíparas (possuem uma espécie de membrana equivalente a uma placenta). Após o nascimento, os filhotes andam no dorso (costas) da mãe até sua primeira troca de pele, quando conseguem se alimentar sozinhos. A longevidade depende da espécie, em torno de 5 anos de idade, mas há registros de mais de 20 anos em algumas espécies. A maturidade sexual ocorre depois do primeiro ano. O interessante é que existem algumas espécies que fazem a partenogênese, sem a necessidade de um macho para fecundar. São predados naturalmente por animais maiores, como aves, cobras, aranhas, etc.

Ferrão e toxinas

No fim da cauda do escorpião existe um segmento chamado telson e as glândulas de veneno, é o chamado ferrão. Seu veneno contém substâncias neurotóxicas, enzimas, histaminas entre outras. Todos os escorpiões produzem substâncias tóxicas, mas menos de 30 espécies podem causar a morte em humanos.

No Brasil, as duas espécies mais comuns em acidente são o escorpião amarelo (Tityus serrulatus) e escorpião preto (Tityus bahiensis). A picada de um escorpião causa muita dor local, febre, sudorese, dispneia e pode levar a óbito, principalmente crianças e idosos. Em caso de picada, lavar com água e sabão, manter a região em repouso e procurar um posto de saúde com urgência, para que receba o soro que neutralizará a toxina. Dependendo da quantidade de veneno inoculada, o caso se torna mais grave. Nunca faça torniquete no local onde houver picada de um animal. Os casos de lesões provocadas por escorpião foram recorde no Brasil em 2018, sobretudo nas cidades. O combate ao animal é difícil, mas não impossível

*Fotos e fonte: Escorpião amarelo. Foto: MartVing / Shutterstock.com, Escola Educação, Folha On-Line

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s